Jorge Martins

Painel de Azulejos correspondente às fachadas nascente e sul do Edifício ECRAN.

Jorge Martins frequentou os cursos de Arquitectura e Pintura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, entre 1957 e 1961. Em 1958, iniciou-se na técnica de gravura a convite de Júlio Pomar. Nesse mesmo ano, estabelece-se num atelier e inicia a sua carreira como artista plástico. Vê o seu trabalho exposto em Lisboa, Nova Iorque, Chicago, Paris, Malmo, Bruxelas, entre outras cidades.

O seu interesse pela literatura leva-o a ilustrar várias obras, como "O Ciclópico Acto", de Luiza Neto Jorge, "Mensagem", de Fernando Pessoa ou "O Livro das Sete Cores", de Maria Alberta Meneres e António Torrado, pelo qual recebe o Prémio Gulbenkian de Ilustração de Literatura Infantil.

Em 1985 participou na representação portuguesa da 18ª Bienal de São Paulo. Em 1986, recebeu o Prémio de Desenho da IIIª Exposição de Artes Plásticas da Fundação Gulbenkian. Em 1995, é inaugurado, na estação de metro Archives/navy Memorial de Washington, o alto-relevo "Ocean Piece", da sua autoria.

O seu trabalho mais próximo do grande público português é a enorme composição decorativa da estação do Metro de Chelas.

Entre as obras de que mais se orgulha, Jorge Martins refere o painel de azulejos do Edifício ECRAN.

Bookmaker with best odds http://bbetting.co.uk review site.